Desafios da complexidade em Medicina Geral e Familiar

Autores

  • Mariana Tudela Interna do Internato de Medicina Geral e Familiar - USF Horizonte (CS de Matosinhos)
  • Filipa Almada Lobo Médica de família - Centro de Saúde de S. Mamede Infesta (ULS Matosinhos)
  • Vítor Ramos Médico de família - USF Marginal (CS de Cascais); Professor Auxiliar Convidado da ENSP/UNL

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v23i6.10428

Palavras-chave:

Complexidade, Teoria da Complexidade, Multimorbilidade, Medicina Geral e Familiar

Resumo

Os autores identificam alguns aspectos da prática da medicina geral e familiar (MGF) que podem beneficiar dos contributos teóricos e metodológicos da teoria dos sistemas complexos. Destacam: a multimorbilidade; os desafios da mudança comportamental para prevenção de doenças e promoção da saúde; os factores associados à «adesão à terapêutica»; o efeito placebo; a trama de factores biológicos, psicológicos, relacionais, familiares, sociais, laborais, económicos e culturais que modelam o sofrimento, os modos de adoecer e a procura de cuidados de saúde dos diferentes pacientes; o papel da autonomia e do «empowerment» das pessoas e da comunidade; e as dificuldades para lidar com os labirintos actuais da tecnologia, dos serviços e dos sistemas de saúde. Abordam sucintamente o percurso teórico desde von Bertalanffy (1968) até ao presente, bem como os níveis de organização sistémica relevantes para a MGF: individual, familiar, organizacional e comunitário. A teoria (ciência) da complexidade é apresentada com enfoque no estudo dos sistemas complexos adaptativos (SCA). Discutem o conceito de «fronteira» ou «margem» do caos («edge of chaos») como zona e estado de maiores possibilidades de mudança e de transformação adaptativa e evolutiva dos sistemas complexos. Apresentam, ainda, alguns princípios e instrumentos para lidar com a complexidade, que podem ser úteis no dia-a-dia da MGF. Os autores concluem pela necessidade de criar e de adoptar progressivamente estratégias cognitivas e modos integradores de ver e de ler a pessoa humana e o mundo, reconhecendo e aceitando sempre o princípio da incompletude e da incerteza do conhecimento possível, em cada momento.

Downloads

Publicado

2007-11-01

Como Citar

Tudela, M., Lobo, F. A., & Ramos, V. (2007). Desafios da complexidade em Medicina Geral e Familiar. Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 23(6), 715–25. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v23i6.10428

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 > >>