Consulta de cessação tabágica no Centro de Saúde de Alvalade. Os primeiros 184 pacientes fumadores. Avaliação de resultados

Autores

  • Luís Rebelo Médico de Família do Centro de Saúde de Alvalade (ARSLVT). Responsável pela Consulta de Tabagismo do Centro de Saúde de Alvalade. Professor da Faculdade de Medicina de Lisboa. Presidente da Confederação Portuguesa de Prevenção do Tabagismo

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v24i1.10461

Palavras-chave:

Tabaco, Consulta, Cessação Tabágica

Resumo

Introdução: A cessação tabágica é um dos componentes mais relevantes para obter, num País, a baixa de prevalência dos fumadores a curto prazo. A descrição de uma consulta de cessação tabágica e a avaliação dos seus resultados pode ser útil. Objectivos: Caracterizar a consulta de cessação tabágica do Centro de Saúde de Alvalade e avaliar a taxa de abstinência entre pacientes fumadores. Metodologia: Estudo descritivo e transversal. A colheita de dados teve por base os elementos das fichas clínicas. Foram estudados 184 pacientes fumadores, correspondendo a todos os que tinham completado à data, pelo menos, um ano após a primeira consulta. Utilizou-se o teste de Fagerström para avaliar a dependência física da nicotina e o teste de Richmond para determinar a motivação para deixar de fumar. Resultados: Os fumadores estudados distribuem-se igualmente pelo sexo masculino e sexo feminino, têm uma idade média de 45 anos, exercem uma profissão e possuem o nível secundário de escolaridade. A média da idade em que fumaram o primeiro cigarro foi de 15,6 anos e fumavam em média 28 cigarros/dia. As mulheres fumavam menos cigarros que os homens, 11 a 20 cigarros versus 30 ou mais cigarros (p=0,018). O nível de dependência da nicotina médio apresentado pelos fumadores foi moderado (5,9 pontos). Os homens obtiveram um valor superior ao das mulheres, 6,4 versus 5,3 pontos (p=0,001). As mulheres fumavam «para combater o stresse», os homens «por prazer». Por comparação com os homens, as razões para fumar - «combater o stresse» (p=0,002) e «para não engordar» (p=0,002) são de tipo feminino. A taxa de abstinência, avaliada 12 meses após a data da primeira consulta, foi de 24%. Os fumadores com patologia psiquiátrica tiveram maior dificuldade em deixar de fumar (p=0,046). Conclusões: Os fumadores estudados são de ambos os sexos, têm uma média de idades de 45 anos, uma escolaridade média e começaram a fumar aos 15 anos. Fumam 28 cigarros por dia, apresentam uma dependência moderada da nicotina e estão motivados a deixar de fumar. Doze meses após a primeira consulta, 24% deles estava abstinente.

Downloads

Publicado

2008-01-01

Como Citar

Rebelo, L. (2008). Consulta de cessação tabágica no Centro de Saúde de Alvalade. Os primeiros 184 pacientes fumadores. Avaliação de resultados. Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 24(1), 13–20. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v24i1.10461

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>