Ética e relações profissionais

Autores

  • Rosalvo Almeida Neurologista - ARS Norte
  • Raquel Braga Médica de Família - Centro de Saúde da Senhora da Hora, ULS Matosinhos

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v24i1.10466

Palavras-chave:

Referenciação, Ética

Resumo

A referenciação dos utentes é a chave-mestra da continuidade de cuidados. No entanto, múltiplas lacunas surgem durante o processo de referenciação, havendo falhas a nível da comunicação relativamente à qualidade e conteúdo da mensagem e ao modo e oportunidade do que deve ser comunicado. O problema em Portugal apresenta particular gravidade, uma vez que existem estudos nacionais e internacionais que reflectem que no nosso país surgem dos piores resultados em termos de troca de informação entre os dois níveis de cuidados de saúde. Desta desarticulação surgem custos em saúde, insatisfação profissional e sobretudo danos para a saúde dos utentes. Levantam-se ainda questões éticas acerca do relacionamento profissional interpares na transmissão da informação, acerca da responsabilidade médica sobre o utente, bem como acerca dos danos para a saúde dos doentes que esta desarticulação de cuidados pode condicionar. Tal facto, resulta de uma má prática clínica no que concerne ao acto de referenciar e orientar o utente através do sistema de saúde.

Downloads

Publicado

2008-01-01

Como Citar

Almeida, R., & Braga, R. (2008). Ética e relações profissionais. Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 24(1), 97–105. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v24i1.10466

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 > >>