Abordagem terapêutica da dependência alcoólica

Autores

  • T. Sá Nogueira Chefe de Serviço de Psiquiatria. Mestre pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.IDT
  • C. Ribeiro Assistente Graduada de Clínica Geral do Centro de Saúde de Sete Rios. Docente da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v24i2.10489

Palavras-chave:

Dependência Alcoólica, Abordagem Farmacológica, Intervenções Psicossociais, Álcool, Tratamento

Resumo

Objectivos: Apresentar uma abordagem compreensiva e actual do tratamento da dependência alcoólica. É importante que o profissional de Cuidados de Saúde Primários, nomeadamente o médico de família, tenha conhecimento destes novos tipos de tratamento, de modo a estar mais actualizado e, a intervir, sempre que tal seja necessário, junto destes doentes, em articulação com outros níveis de cuidados. Metodologia: Revisão numa perspectiva essencialmente clínica, das possíveis abordagens farmacológicas e psicoterapêuticas utilizadas na actualidade. Resultados: A abordagem terapêutica do paciente alcoólico deverá corresponder a duas fases: a desintoxicação e a desabituação, cujos objectivos são respectivamente, prevenir e tratar a síndrome de abstinência, e ajudar o paciente a organizar a sua vida relacional, social e profissional, prevenindo assim a recaída. Conclusões: A abordagem mais efectiva da dependência alcoólica, actualmente, consiste na combinação de terapias farmacológicas e psicossociais, tanto na fase de desintoxicação como na de desabituação e reabilitação.

Downloads

Publicado

2008-03-01

Como Citar

Nogueira, T. S., & Ribeiro, C. (2008). Abordagem terapêutica da dependência alcoólica. Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 24(2), 305–16. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v24i2.10489