Papel dos antidepressivos na fibromialgia

Autores

  • Sofia Almeida Interna 3.º ano de MGF, C.S. Soares dos Reis e Oliveira do Douro - USF Nova Salus
  • Ângela Pimenta Interna 3.º ano de MGF, C.S. Castelo da Maia - USF Viver Mais
  • Diana Brigas Interna 3.º ano de MGF, C.S. Soares dos Reis e Oliveira do Douro - Unidade de Oliveira do Douro
  • Isabel Costa Interna 3.º ano de MGF, C.S. Soares dos Reis e Oliveira do Douro - USF Camélias
  • Luísa Santos Interna 3.º ano de MGF, USF Sete Caminhos - Gondomar

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v26i1.10708

Palavras-chave:

Fibromialgia, Antidepressivos, Tratamento da Fibromialgia

Resumo

Introdução: A fibromialgia caracteriza-se por dor crónica generalizada de etiologia desconhecida, fadiga, rigidez, perturbação do sono, depressão, ansiedade, cefaleias, enxaqueca, alteração do trânsito intestinal, dor abdominal e urgência miccional. Os critérios de diagnóstico, segundo o Colégio Americano de Reumatologia (1990), são dor generalizada associada a hipersensibilidade em pelo menos 11 de 18 pontos músculotendinosos. A sua prevalência é de 2% nos Estados Unidos. Objectivo: Revisão da evidência científica recente sobre o papel dos antidepressivos na fibromialgia. Fontes de Dados: MedLine/Pubmed e Sites de Medicina Baseada na Evidência. Métodos de Revisão: Pesquisa de meta-análises (MA) e revisões sistemáticas (RS), publicadas entre 2000 e Julho de 2008, em português e inglês, utilizando as palavras-chave fibromyalgia, antidepressants, fibromyalgia treatment. Foi utilizada a taxonomia SORT para apresentação dos resultados. Resultados: Dos 10 artigos encontrados, foram seleccionadas 3 MA e 4 RS. Verificou-se que o efeito dos antidepressivos tricíclicos é moderado, sendo maior no sono e menor na dor e rigidez. A ciclobenzaprina, um fármaco com uma estrutura tricíclica que actua como miorrelaxante, demonstrou melhorar a função global, sono e, de forma modesta, a dor. Os inibidores da recaptação da serotonina e noradrenalina, duloxetina e milnacipram, são eficazes na dor e qualidade de vida, a venlafaxina parece efi caz em doses altas. Dos inibidores da recaptação da serotonina, a fluoxetina é eficaz na dor, bem-es tar e depressão, a paroxetina reduz o impacto da doença na qualidade de vida, sem efeito na dor, e o citalopram é ineficaz. Dos inibidores da monoaminaoxidase, o pirlindol melhora a dor e o bem-es tar, o moclobemide é ineficaz. Conclusões: Os antidepressivos com benefício no tratamento da fibromialgia são amitriptilina, duloxetina, milnacipram (SORT A), fluoxetina, pirlindol (SORT B). A ciclobenzaprina, apesar de não actuar como antidepressivo, partilha da estrutura tricíclica da amitriptilina e demonstrou ser benéfico no tratamento da fibromialgia (SORT A). São necessários estudos de longa duração para determinar o benefício destes fármacos a longo prazo.

Downloads

Publicado

2010-01-01

Como Citar

Almeida, S., Pimenta, Ângela, Brigas, D., Costa, I., & Santos, L. (2010). Papel dos antidepressivos na fibromialgia. Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 26(1), 22–6. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v26i1.10708