Efetividade da vacina antigripal na época 2010-2011 em Portugal: Resultados do projeto EUROEVA

Autores

  • Baltazar Nunes Doutor em Probabilidades e Estatística, Instituto Nacional de Saúde Dr Ricardo Jorge (INSA)
  • Ausenda Machado Engenheira Química, INSA
  • Pedro Pechirra Licenciatura em Biologia, INSA
  • Isabel Falcão Chefe de Serviço de Medicina Geral e Familiar, Direção-Geral da Saúde
  • Paulo Gonçalves Licenciatura em Biologia Aplicada (Biotecnologia), INSA
  • Patrícia Conde Licenciatura em Engª Biotecnológica, Mestrado em Saúde Pública, INSA
  • Raquel Guiomar Licenciatura em Biologia, INSA
  • Inês Batista Assistente operacional, INSA
  • José Marinho Falcão Chefe de Serviço de Saúde Pública, Epidemiologista, INSA

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v28i4.10955

Palavras-chave:

Investigação Comparativa da Efetividade, Gripe Humana, Vacina Contra a Gripe

Resumo

Objetivos: O estudo EuroEVA (Efetividade da vacina antrigripal na Europa) teve como objetivos estimar a efetividade da vacina antigripal sazonal 2010-2011 na população geral e nos indivíduos com 65 ou mais anos de idade. Tipo de estudo: Estudo observacional do tipo caso-controlo e método screening Local: Portugal Continental População: População portuguesa residente e não institucionalizada sem contra-indicação para a toma da vacina antigripal Métodos: Foram utilizados dois delineamentos de estudo para estimar a efetividade da vacina (EV): caso-controlo e o método screening. No delineamento caso-controlo, os casos de síndroma gripal (SG) com confirmação laboratorial para o vírus da gripe foram comparados com os casos de SG negativos para o vírus da gripe. A EV foi estimada por 1-odds ratio de estar vacinado nos casos versus controlos, ajustada para efeitos de confundimento por regressão logística. No método screening, a cobertura da vacina antigripal nos casos SG positivo foi comparada com a cobertura estimada na população geral. A EV foi estimada por intermédio da fórmula de Orenstein e ajustada para confundimento pelo método de Farrington. Resultados: Os resultados indicam que a EV da vacina contra a gripe na época 2010-11 foi de 79% (IC95%, 43% a 94%) no delineamento caso-controlo e de 70% (IC95%, 32% a 87%) pelo método screening. Após ajustamento, a EV decresceu, respetivamente, para 58% (IC95%, -61% a 89%) e 64% (IC95%, 17% a 84%). Conclusões: As estimativas da EV antigripal obtidas pelos dois métodos foram muito semelhantes e encontram-se entre os valores da EV publicados para a época 2010-11. Os dados recolhidos neste estudo não permitiram obter estimativas da EV específicas para os indivíduos dos grupos alvo da vacinação antigripal. Este facto vem reforçar a necessidade da realização de estudos multicêntricos com protocolo comum, como é o caso do I-MOVE "Monitoring influenza vaccine efectiveness during influenza seasons and pandemics in the European Union".

Downloads

Publicado

2012-07-01

Como Citar

Nunes, B., Machado, A., Pechirra, P., Falcão, I., Gonçalves, P., Conde, P., Guiomar, R., Batista, I., & Falcão, J. M. (2012). Efetividade da vacina antigripal na época 2010-2011 em Portugal: Resultados do projeto EUROEVA. Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 28(4), 271–84. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v28i4.10955

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)