Um caso típico de Síndrome de Sweet

Autores

  • Maria Lúcia Ramos Interna do internato de Medicina Geral e Familiar da USF CelaSaúde
  • Luiz Miguel Santiago Professor Doutor em medicina pela Universidade de Coimbra, Professor associado convidado na Universidade da Beira Interior, Assistente Graduado Sénior na UCSP de Eiras
  • Teresa Tomé Assistente Graduada Sénior e Coordenadora da USF CelaSaúde, Mestre em Saúde Pública e Coordenadora do Centro de Apoio ao Jovem

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v29i3.11072

Palavras-chave:

Síndrome de Sweet, Dermatose, Febre

Resumo

A Síndrome de Sweet é uma dermatose neutrofílica. Associa-se, em 50% dos casos, a outras patologias como doenças infecciosas, inflamatórias, auto-imunes e, sobretudo, neoplásicas (20 a 25%). O objectivo deste trabalho é alertar o médico de família (MF) para esta patologia, enumerar os critérios necessários ao seu diagnóstico e aumentar o índice de suspeição. Relata-se o caso de uma mulher que apresenta um síndrome gripal com cinco dias de evolução. Dois dias após início deste quadro referiu aparecimento súbito de lesões cutâneas circulares em pápula eritematosa e com descoloração central. Negou prurido, mas com dor ao toque. Foi-lhe diagnosticada Síndrome de Sweet e iniciou tratamento com corticoterapia oral, com resolução clínica completa em apenas alguns dias. O estudo para exclusão de patologia neoplásica associada foi negativo. Tem indicação para realizar hemograma semestral e os rastreios oncológicos de acordo com a idade e sexo.

Downloads

Publicado

2013-05-01

Como Citar

Ramos, M. L., Santiago, L. M., & Tomé, T. (2013). Um caso típico de Síndrome de Sweet. Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 29(3), 186–90. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v29i3.11072

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>