Fatores determinantes da qualidade de vida numa população de doentes com doença pulmonar obstrutiva crónica

Autores

  • Marlene Barros Médica Interna do 1.º ano de Medicina Geral e Familiar, USF do Minho, ACES Cávado I
  • Flávio Guimarães Médico Interno do 1.º ano de Medicina Geral e Familiar, USF Santa Clara, ACES Grande Porto IV
  • Jaime Correia de Sousa Professor Associado, Instituto de Ciências da Vida e da Saúde (ICVS), Escola de Ciências da Saúde, Universidade do Minho e ICVS/3B´s Laboratório Associado; Médico de Família, Unidade de Saúde Familiar Horizonte, Unidade Local de Saúde de Matosinhos

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v30i3.11359

Palavras-chave:

Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica, Qualidade de Vida

Resumo

Objetivos: Analisar a relação entre a Qualidade de Vida (QdV) e os seguintes fatores: género, idade, índice de massa corporal, estado civil, situação profissional, volume expiratório forçado no 1.º segundo, ansiedade, depressão e dispneia numa população de indivíduos com Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC). Tipo de estudo: Observacional, analítico transversal. Local: Unidade de Saúde Familiar (USF) Manuel Rocha Peixoto e USF Gualtar, Braga, Portugal. População: Doentes com idade igual ou superior a 40 anos, diagnosticados com DPOC ou bronquite crónica, inscritos nas USF Gualtar e Manuel Rocha Peixoto. Métodos: Os dados sociodemográficos foram recolhidos através de um formulário, composto também pelas versões portuguesas do Hospital Anxiety and Depression Scale, Medical Research Council Dyspnea Questionnaire e COPD Specific Saint George’s Respiratory Questionnaire (SGRQ-C). O diagnóstico de DPOC foi confirmado através da realização de espirometria, determinando-se o volume expiratório forçado no 1.º segundo. Foi realizada uma análise bivariada entre as variáveis em estudo e a QdV. Posteriormente submeteram-se as variáveis estatisticamente significativas à regressão linear múltipla. Resultados: Sessenta e cinco doentes foram incluídos no estudo. Na análise bivariada, a depressão, ansiedade e dispneia relacionaram-se com todos os domínios do SGRQ-C. O género e a situação profissional também mostraram uma relação significativa nos domínios Atividade, Impacto e no valor total do SGRQ-C. Posteriormente, na análise com a regressão linear múltipla, o género e a ansiedade perderam a sua influência, revelando-se, como principais determinantes, a dispneia no domínio Sintomas e, no domínio Impacto, situação profissional e dispneia no domínio Atividade e, no valor Total do SGRQ-C, a situação profissional, depressão e dispneia. Conclusões: A situação profissional, a depressão e a dispneia deverão ser consideradas nas estratégias para melhorar a QdV nesta população de doentes com DPOC.

Downloads

Publicado

2014-05-01

Como Citar

Barros, M., Guimarães, F., & Sousa, J. C. de. (2014). Fatores determinantes da qualidade de vida numa população de doentes com doença pulmonar obstrutiva crónica. Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 30(3), 156–66. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v30i3.11359

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 > >>