Diabetes mellitus e cancro colorretal: uma revisão baseada na evidência

Autores

  • Sandra Esteves Oliveira Médica Interna de Medicina Geral e Familiar. Unidade de Saúde Familiar do Minho, ACES Cávado I – Braga
  • Isabel Machado Médica Interna de Medicina Geral e Familiar. Unidade de Saúde Familiar do Minho, ACES Cávado I – Braga
  • Alfredo João Pereira Médico Interno de Medicina Geral e Familiar. Unidade de Saúde Familiar do Minho, ACES Cávado I – Braga
  • Marlene Barros Médica Interna de Medicina Geral e Familiar. Unidade de Saúde Familiar do Minho, ACES Cávado I – Braga

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v32i2.11733

Palavras-chave:

Diabetes mellitus, Cancro colorretal.

Resumo

Objetivo: A diabetes mellitus (DM) e o cancro colorretal (CCR) são patologias com incidência crescente e elevada morbimortalidade. Segundo dados da International Diabetes Federation, a DM foi responsável, em 2014, por 4,9 milhões de mortes a nível mundial. Alguns estudos sugerem a DM como fator de risco para CCR. Contudo, esta associação permanece inconsistente. Assim, o objetivo deste estudo foi rever a evidência atualmente disponível sobre a associação entre DM e aumento da incidência e mortalidade por CCR. Fontes de dados: National Guideline Clearing House, NICE, Canadian Medical Association Practice Guidelines, Cochrane, PubMed, Direção-Geral da Saúde. Métodos de revisão: Pesquisa de meta-análises (MA), revisões sistemáticas (RS), estudos observacionais e normas de orientação clínica/guidelines baseadas na evidência, publicadas nos últimos cinco anos, em português, espanhol e inglês, utilizando os termos MeSH diabetes mellitus e cancer, colorectal e os correspondentes DeCS. Foi utilizada a escala SORT (Strength of Recommendation Taxonomy), da American Academy of Family Physicians, para atribuição dos níveis de evidência e forças de recomendação. Resultados: Obtiveram-se 48 artigos, sendo que seis MA e um estudo observacional cumpriram os critérios de inclusão. Os estudos incluídos demonstraram resultados estatisticamente significativos, consistentes com o aumento da incidência e mortalidade por CCR em indivíduos diabéticos. Quatro MA realizaram uma análise independente por local da neoplasia (cólon e reto) e verificaram um aumento estatisticamente significativo da incidência e mortalidade dos dois tipos de cancro na população diabética. Da mesma forma, quatro MA realizaram uma análise de subgrupo por género, verificando-se, na maioria dos estudos, uma associação positiva entre DM e aumento da incidência de CCR em ambos os géneros. Conclusão: A evidência atualmente disponível demonstra um aumento estatisticamente significativo da incidência e mortalidade por CCR em indivíduos diabéticos (SORT A). No entanto, são necessários estudos mais homogéneos em relação à metodologia, que considerem o subtipo de DM, as diferenças consoante a etnia, a interferência de fatores confundidores como a dieta, obesidade, tabagismo, sedentarismo, medicação antidiabética e a duração da doença. Estes resultados são clinicamente relevantes e podem ter implicações no âmbito de saúde pública, dada a elevada prevalência e morbimortalidade da DM e CCR, bem como a possível base fisiopatológica comum entre estas duas entidades.

Downloads

Publicado

2016-03-01

Como Citar

Oliveira, S. E., Machado, I., Pereira, A. J., & Barros, M. (2016). Diabetes mellitus e cancro colorretal: uma revisão baseada na evidência. Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 32(2), 102–8. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v32i2.11733