Pentoxifilina no tratamento da úlcera venosa: uma revisão baseada na evidência

Autores

  • Ângela Pinto Neves Médica Interna de Medicina Geral e Familiar. Unidade de Saúde Familiar Lagoa, Unidade Local de Saúde de Matosinhos
  • Ana Miranda Médica Interna de Medicina Geral e Familiar. Unidade de Saúde Familiar Lagoa, Unidade Local de Saúde de Matosinhos
  • Helena Martins Médica Interna de Medicina Geral e Familiar. Unidade de Saúde Familiar Lagoa, Unidade Local de Saúde de Matosinhos
  • Raquel Barradas Médica Interna de Medicina Geral e Familiar. Unidade de Saúde Familiar Caravela, Unidade Local de Saúde de Matosinhos

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v32i3.11791

Palavras-chave:

Pentoxifilina, Úlcera Venosa

Resumo

Objetivo: Rever a evidência disponível acerca da eficácia e da segurança da pentoxifilina no tratamento da úlcera venosa crónica dos membros inferiores, em idade adulta. Fontes de dados: MEDLINE e bases de dados de medicina baseada na evidência (National Guideline Clearinghouse, Canadian Medical Association Practice Guidelines InfoBase, Guidelines Finder da National Electronic Library for Health do NHS britânico, Database of Abstracts of Reviews of Effectiveness – Centre for Reviews and Dissemination, Bandolier e The Cochrane Library). Métodos de revisão: Foi realizada uma pesquisa de artigos (normas de orientação clínica, meta-análises, revisões sistemáticas e estudos originais), publicados entre janeiro de 2003 e julho de 2015 nas línguas portuguesa, espanhola e inglesa, utilizando os termos MeSH pentoxifylline e venous ulcers. O nível de evidência e a força de recomendação, quando ausentes, foram atribuídos de acordo com os critérios da escala Strength of Recommendation Taxonomy (SORT), da American Family Physician. Resultados: Foram identificados 51 artigos, seis dos quais de acordo com os critérios de inclusão: duas normas de orientação clínica, uma meta-análise, uma revisão sistemática e dois ensaios clínicos aleatorizados (ECA). A administração de pentoxifilina por via oral na dose de 400mg, três vezes por dia, como adjuvante da terapia compressiva aumenta a probabilidade de cicatrização da úlcera venosa crónica dos membros inferiores, sendo que o benefício se mantém inclusive na ausência de terapia compressiva. O tratamento adjuvante com pentoxifilina oral apresenta elevada probabilidade de ser custo-efetivo. O uso de pentoxifilina associou-se a uma maior incidência de efeitos laterais gastrointestinais. Conclusões: Os resultados obtidos apresentam evidência robusta acerca da eficácia e custo-efetividade do uso da pentoxifilina no tratamento da úlcera venosa crónica dos membros inferiores na população adulta, como adjuvante da terapia compressiva ou isoladamente (Strength of Recommendation A – SOR A). Tendo em conta a importância dos efeitos laterais gastrointestinais, a investigação futura deverá incidir na determinação da posologia ótima que facilite a adesão terapêutica sem comprometer a eficácia e a segurança do fármaco.

Downloads

Publicado

2016-05-01

Como Citar

Neves, Ângela P., Miranda, A., Martins, H., & Barradas, R. (2016). Pentoxifilina no tratamento da úlcera venosa: uma revisão baseada na evidência. Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 32(3), 198–204. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v32i3.11791

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)