O papel dos inibidores da fosfodiesterase 5 no tratamento dos sintomas do trato urinário inferior: revisão baseada na evidência

Autores

  • Hugo Rocha Médico interno de formação específica em Medicina Geral e Familiar ULS Matosinhos – USF Lagoa
  • Ângela Neves Médica interno de formação específica em Medicina Geral e Familiar ULS Matosinhos – USF Lagoa
  • Sofia Fernandes Médica interno de formação específica em Medicina Geral e Familiar ULS Matosinhos – USF Lagoa

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v32i4.11826

Palavras-chave:

Sintomas do trato urinário inferior, LUTS, Inibidores da fosfodiesterase 5, Hipertrofia benigna da próstata

Resumo

Objetivo: Determinar a evidência existente acerca da eficácia e segurança do uso dos inibidores da fosfodiesterase 5 (IPDE5) em monoterapia nos sintomas do trato urinário inferior (LUTS) secundários a hipertrofia benigna prostática, com ou sem disfunção eréctil associada. Fontes de dados: MEDLINE e sítios de medicina baseada na evidência. Métodos de revisão: Pesquisa de normas de orientação clínica (NOC), meta-analises (MA), revisões sistemáticas (RS) e ensaios clínicos aleatorizados (ECA), utilizando os termos MeSH: Phosphodiesterase 5 inhibitors, Lower urinary tract symptoms, Prostatic hyperplasia. Para avaliar a qualidade dos estudos e a força de recomendação foi utilizada a escala Strength of Recommendation Taxonomy (SORT), da American Family Physician. Resultados: Foram identificados 172 artigos, dos quais foram selecionados oito. Uma NOC, cinco MAs, uma RS e um ECA cumpriram os critérios de inclusão. A utilização de IPDE5 demonstrou melhoria significativa da pontuação no Internacional Prostatic Symptom Score (IPSS) e no Índice Internacional de Função Eréctil (IIFE) e associou-se a uma maior incidência global de efeitos adversos (EA) leves a moderados, sem diferenças nos EA graves, com perfil de segurança favorável. Conclusões: Os resultados obtidos apresentam evidência robusta acerca da eficácia e segurança do uso dos IPDE5 nos LUTS, com ou sem disfunção eréctil associada (SORT A). Sugere-se a realização de mais estudos para a avaliar a eficácia e segurança a longo prazo, o seu papel na progressão da doença e a relação custo-efetividade da sua utilização nos LUTS.

Downloads

Publicado

2016-07-01

Como Citar

Rocha, H., Neves, Ângela, & Fernandes, S. (2016). O papel dos inibidores da fosfodiesterase 5 no tratamento dos sintomas do trato urinário inferior: revisão baseada na evidência. Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 32(4), 257–64. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v32i4.11826

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)