Prática de ioga como terapia complementar ou alternativa em crianças e adolescentes com Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção: uma revisão baseada na evidência

Autores

  • Inês Pintalhão
  • Joana Penetra
  • Joel Batista

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v35i2.12087

Resumo

Objetivo: Rever a evidência disponível acerca do efeito da prática de ioga na diminuição dos sintomas de PHDA em crianças e adolescentes.

Fontes de dados: MEDLINE/PubMed e bases de dados de medicina baseada na evidência (National Guideline Clearinghouse, Canadian Medical Association Practice Guidelines InfoBase, Guidelines Finder da National Electronic Library for Health do NHS britânico, DARE, Bandolier e The Cochrane Library).

Métodos de revisão: Pesquisa de artigos (normas de orientação clínica, meta-análises, revisões sistemáticas e estudos originais) publicados entre janeiro de 2000 e janeiro de 2017 nas línguas portuguesa e inglesa, utilizando os termos MeSH attention deficit hyperactivity disorder, yoga, child e adolescent. O nível de evidência e a força de recomendação foram atribuídos de acordo com os critérios da escala Strength of Recommendation Taxonomy (SORT), da American Family Physician.

Resultados: Foram encontrados 48 artigos no total, dos quais se selecionaram cinco de acordo com os critérios de inclusão: uma revisão sistemática e quatro artigos originais, entre os quais três ensaios clínicos controlados e aleatorizados e um ensaio quase-experimental. Apesar de alguns estudos apresentarem resultados positivos, não há evidência suficiente que demonstre efeito benéfico da prática de ioga na diminuição dos sintomas de PHDA (nível de evidência 2).

Conclusão: A evidência disponível não permite suportar com robustez a recomendação da prática de ioga em crianças e adolescentes com PHDA, como terapia alternativa ou complementar às estratégias já implementadas (Força de Recomendação B). Os estudos que atribuem efeito benéfico à modalidade levantam preocupações quanto à metodologia, limitando a qualidade da evidência. Sugere-se a realização de mais estudos prospetivos e de larga escala, com amostras homogéneas e follow-up adequado, que a longo prazo permitam validar a evidência encontrada e auxiliar na formulação de recomendações.

Downloads

Publicado

2019-05-14

Como Citar

Pintalhão, I., Penetra, J., & Batista, J. (2019). Prática de ioga como terapia complementar ou alternativa em crianças e adolescentes com Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção: uma revisão baseada na evidência. Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 35(2), 127–35. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v35i2.12087