Prevalência de doença renal crónica estádio 3-5 na população diabética tipo 2 com 60 ou mais anos de idade

Autores

  • Teresa Luísa Velosa Médica de Medicina Geral e Familiar. USF Lígios, ACeS do Cavado III.
  • Ana Maria Santos Pereira Paiva Consultora de Nefrologia do Hospital Pedro Hispano. Serviço de Nefrologia, IPO do Porto.
  • Diana Maria Vieira Costa Ferreira Médica de Medicina Geral e Familiar. USF Lígios, ACeS do Cavado III.
  • Maria Gorete Neves da Costa Médica de Medicina Geral e Familiar. USF Lígios, ACeS do Cavado III.
  • Celsa Irene Maciel Ferros Enfermeira. USF Lígios, ACeS do Cávado III.
  • Idalina Maria Faria Costa Ferreira Enfermeira. USF Lígios, ACeS do Cávado III.

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v34i3.12445

Palavras-chave:

Idosos, Diabetes mellitus tipo 2, Doença renal crónica, Prevalência, Cuidados de saúde primários, Prevenção.

Resumo

Objetivo: Estimar a prevalência de doença renal crónica (DRC) estádio 3-5, na população diabética tipo 2 com 60 ou mais anos de idade. Tipo de estudo: Estudo transversal, descritivo com componente analítica. Local: O estudo decorreu na Unidade de Saúde Familiar (USF) Lígios, entre 1 de junho de 2013 e 31 de junho de 2014. Participantes: Doentes com diabetes mellitus tipo 2 (DMT2), com 60 ou mais anos de idade, seguidos na USF. Métodos: Os profissionais de saúde preencheram questionários com dados dos utentes: sexo, idade, estatura, peso, índice de massa corporal, escolaridade, consumo de álcool, hábitos tabágicos, tensão arterial, medicação nefrotóxica, creatinina, taxa de filtração glomerular estimada (TFGe) pela equação modification of diet in renal disease (MDRD), ureia, albuminúria e hematúria. Resultados: A prevalência de DRC estádios 3-5 nos utentes diabéticos tipo 2 com 60 ou mais anos de idade foi de 15% nesta amostra. A prevalência de DRC estádios 3-5 aumentava com a idade (60-74 anos: 10,5%; 75-84 anos: 19,4%; ≥85 anos: 39,1%, p<0,01), estava associada a analfabetismo (TFGe ≥60ml/min/1,73m2: 11,6%; TFGe<60ml/min/1,73m2: 21,2%, p<0,05) e inversamente associada ao consumo de álcool (p<0,05). A prevalência de albuminúria persistente na amostra foi de 16,8%. Verificou-se existir uma relação estatisticamente significativa entre hábitos tabágicos e albuminúria persistente (razão albumina/creatinina [RAC]<30mg/g: 3,5%; RAC ≥30mg/g: 10,3%, p<0,05). Conclusão: A prevalência de DRC estádios 3-5 na população com DMT2 com 60 ou mais anos de idade foi de 15,0% e a prevalência de albuminúria persistente foi de 16,8%.

Downloads

Publicado

2018-05-01

Como Citar

Velosa, T. L., Paiva, A. M. S. P., Ferreira, D. M. V. C., Costa, M. G. N. da, Ferros, C. I. M., & Ferreira, I. M. F. C. (2018). Prevalência de doença renal crónica estádio 3-5 na população diabética tipo 2 com 60 ou mais anos de idade. Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 34(3), 128–38. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v34i3.12445