Avaliação do desempenho do teste rápido de urina no diagnóstico da infeção urinária em idade pediátrica

Autores

  • Sofia Cassamo Médica Interna de Medicina Geral e Familiar, USF Rodrigues Miguéis, ACeS Lisboa Norte
  • Marta Ribeiro Médica Interna de Pediatria, Centro Hospitalar Lisboa Norte
  • Leonardo Carneiro Médico Interno de Patologia Clínica, Centro Hospitalar Lisboa Norte
  • Susana Castanhinha Médica Assistente de Pediatria, Serviço de Urgência pediátrica, Departamento de Pediatria, Centro Hospitalar Lisboa Norte
  • Gabriela Araújo e Sá Médica Assistente Graduada de Pediatria, Serviço de Urgência pediátrica, Departamento de Pediatria, Centro Hospitalar Lisboa Norte

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v37i1.12795

Palavras-chave:

Infeção urinária, Teste rápido de urina, Urinálise, Urocultura

Resumo

Objetivos: As infeções do trato urinário (ITU) são das infeções bacterianas mais frequentes em pediatria. O exame bacteriológico da urina (EBU) é o teste referência para o diagnóstico de ITU. Sendo um exame moroso, a decisão de iniciar antibioterapia baseia-se na clínica e na urinálise (ASU). A suspeita de ITU na criança e adolescente poderá ser orientada pelo médico de família. O objetivo deste estudo foi avaliar a eficácia da ASU no diagnóstico precoce da ITU em idade pediátrica.

Métodos: Efetuou-se um estudo observacional que incluiu doentes (0-18 anos) que recorreram à urgência pediátrica entre 01/01/2015 e 31/12/2016 e que realizaram colheita de urina para ASU e EBU. Foram analisados os resultados da ASU e comparados com os resultados do EBU. Atribuiu-se diagnóstico definitivo de ITU a todos os doentes com EBU positivo. Determinou-se a sensibilidade, especificidade, valor preditivo positivo (VPP), valor preditivo negativo (VPN) e odds ratio (OR) dos parâmetros nitritos e esterase leucocitária (EL) para o diagnóstico de ITU.

Resultados: Das 3.400 amostras incluídas, 21,2% tiveram resultado bacteriológico positivo. O microrganismo mais frequente foi Escherichia coli. Os nitritos demonstraram sensibilidade de 28% e especificidade de 99% para o diagnóstico. A EL revelou sensibilidade de 90% e especificidade de 63%. Para o conjunto dos dois, a sensibilidade foi de 27% e a especificidade de 99%, com VPP 91% e VPN 83%. Para EL superior a 500 células/mcl verificou-se especificidade de 93%. No grupo etário 0-12 meses verifica-se um VPP 93% e VPN 82% para os dois em conjunto.

Conclusões: Os resultados são concordantes com a literatura: a EL é sensível para o diagnóstico de ITU e os nitritos são específicos. O melhor indicador para exclusão de ITU foi a EL. Estes resultados poderão ser aplicados na consulta aberta de saúde infantil e juvenil ao nível dos cuidados de saúde primários.

Downloads

Publicado

2021-02-25

Como Citar

Cassamo, S., Ribeiro, M., Carneiro, L., Castanhinha, S., & Araújo e Sá, G. (2021). Avaliação do desempenho do teste rápido de urina no diagnóstico da infeção urinária em idade pediátrica. Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 37(1), 8–14. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v37i1.12795