Medicação potencialmente inapropriada em idosos acompanhados em cuidados domiciliários nos últimos 12 meses de vida

Autores

  • Marlene Areias https://orcid.org/0000-0002-2369-3212
  • Paulo Reis-Pina Unidade de Cuidados Paliativos "Bento Menni", Casa de Saúde da Idanha, Sintra, Portugal.Escola de Medicina da Universidade do Minho, Braga, Portugal.Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, Lisboa, Portugal. https://orcid.org/0000-0002-4665-585X

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v37i4.13037

Palavras-chave:

Cuidados paliativos, Efeitos colaterais e reações adversas relacionados com medicamentos, Idoso, Lista de medicamentos potencialmente inapropriados, Polifarmácia

Resumo

Introdução: A medicação potencialmente inapropriada (MPI) é cada vez mais alvo de estudo e atenção, pelas consequências negativas que pode ter num doente vulnerável.

Objetivo: Determinar a prevalência da MPI e das interações medicamentosas em idosos acompanhados por equipas domiciliárias nos últimos doze meses de vida.

Material e Métodos: Estudo quantitativo, descritivo, retrospetivo e observacional. Identificação da MPI, usando os critérios STOPPFrail, nos idosos com ≥ 65 anos acompanhados pelas equipas comunitárias de suporte em cuidados paliativos nos Açores, que faleceram entre janeiro de 2016 e dezembro de 2018.

Resultados: Foram incluídos 137 doentes, sendo 72 homens (52,55%), com uma mediana de 78 anos (amplitude interquartil 73-84). A prevalência de MPI foi de 90,51% (n=124), existindo sobretudo prescrição de medicação sem evidência clínica clara (51,09%, n=70) e de inibidores da bomba de protões (45,99%, n=63). Foram contabilizadas 1.107 interações medicamentosas em 120 doentes (87,59%). A MPI esteve envolvida nas interações de 98 doentes (71,53%) e em 473 das interações medicamentosas clinicamente significativas (46,78%).

Conclusão: A prevalência de MPI é elevada em idosos nos últimos doze meses de vida. O uso dos critérios STOPPFrail pode ajudar a identificar a MPI e a delinear um plano para a sua redução, de preferência num contexto de trabalho interdisciplinar. 

Downloads

Publicado

2021-09-14

Como Citar

Areias, M., & Reis-Pina, P. (2021). Medicação potencialmente inapropriada em idosos acompanhados em cuidados domiciliários nos últimos 12 meses de vida. Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 37(4), 302–12. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v37i4.13037