Vamos falar de saúde mental infantil? Um estudo do impacto de formação especializada em saúde mental infantil para médicos e técnicos de cuidados de saúde primários

Autores

  • Rita Amaro Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Central - Especialidade Psiquiatria Infância e Adolescência http://orcid.org/0000-0002-0600-1093
  • Sofia Vaz Pinto Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Central - Especialidade Psiquiatria Infância e Adolescência
  • Catarina Garcia Ribeiro Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Central - Especialidade Psiquiatria Infância e Adolescência
  • Maria Francisca Magalhães Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Central - Especialidade Psiquiatria Infância e Adolescência
  • Nuno Araújo Duarte Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Central - Especialidade Psiquiatria Infância e Adolescência
  • Juan Sanchez Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Central - Especialidade Psiquiatria Infância e Adolescência
  • Pedro Caldeira da Silva Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Central - Especialidade Psiquiatria Infância e Adolescência

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v38i6.13096

Palavras-chave:

Saúde mental infantil, Articulação, Promoção, Prevenção, Psiquiatria da infância e adolescência, Medicina geral e familiar

Resumo

Introdução: A intervenção em saúde mental na infância e adolescência deve ser uma prioridade, tendo em conta a elevada prevalência das perturbações mentais nesta faixa etária associadas a uma alta taxa de comorbilidade e a tendência à cronicidade de psicopatologia para a idade adulta. A literatura realça a importância de descentralizar os cuidados de saúde mental infantil, promovendo uma intervenção baseada na comunidade e em interface entre os serviços especializados e os cuidados de saúde primários.

Métodos: Realização de uma formação sobre saúde mental infantil, dirigida a médicos e técnicos dos cuidados de saúde primários. Os participantes, no início e no final do curso, responderam a um questionário de 22 perguntas, elaborado pela comissão científica. Os resultados foram avaliados através do Teste Qui Quadrado de Pearson.

Resultados: Do total de 120 participantes, 109 questionários foram preenchidos no início (90% dos participantes) e 97 questionários foram preenchidos no final da ação de formação (81% dos participantes). A diferença na pontuação dos questionários inicial e final global foi estatisticamente significativa (valor p<0,05, intervalo de confiança de 95%), sendo a média de respostas corretas dos questionários iniciais de 75,15% e dos questionários finais de 86,40%. Em 15 das 22 questões foi obtida uma diferença estatisticamente significativa.

Discussão e Conclusão: Tendo em consideração os resultados é possível reconhecer o impacto significativo que esta formação parece ter tido na aquisição de novos conhecimentos em saúde mental infantil. A equipa de cuidados de saúde primários é uma área privilegiada de articulação, com o potencial de promover estratégias de prevenção e promoção da saúde mental, identificar os problemas precocemente, intervir nos casos menos graves e referenciar aos serviços especializados atempadamente. A equipa de saúde mental deve colaborar com as diferentes estruturas comunitárias, em consultoria, formação, coordenação ou catalisação de iniciativas ou projetos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografias Autor

Rita Amaro, Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Central - Especialidade Psiquiatria Infância e Adolescência

Interna de Formação Específica de Psiquiatria da Infância e Adolescência, Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central

Sofia Vaz Pinto, Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Central - Especialidade Psiquiatria Infância e Adolescência

Interna de Formação Específica de Psiquiatria da Infância e Adolescência, Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central

Catarina Garcia Ribeiro, Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Central - Especialidade Psiquiatria Infância e Adolescência

Interna de Formação Específica de Psiquiatria da Infância e Adolescência, Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central

Maria Francisca Magalhães, Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Central - Especialidade Psiquiatria Infância e Adolescência

Interna de Formação Específica de Psiquiatria da Infância e Adolescência, Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central

Nuno Araújo Duarte, Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Central - Especialidade Psiquiatria Infância e Adolescência

Interno de Formação Específica de Psiquiatria da Infância e Adolescência, Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central

Juan Sanchez, Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Central - Especialidade Psiquiatria Infância e Adolescência

Assistente Hospitalar Graduado de Psiquiatria da Infância e Adolescência no Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Central

Chefe da Clínica de Pedopsiquiatria do Hospital Dona Estefânia

 

Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Central - Especialidade Psiquiatria Infância e Adolescência

Pedro Caldeira da Silva, Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Central - Especialidade Psiquiatria Infância e Adolescência

Assistente Hospitalar Graduado de Psiquiatria da Infância e Adolescência no Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Lisboa Central

Chefe da Unidade da Primeira Infância - Centro de Estudos do Bebé e da Criança

Diretor da Especialidade de Psiquiatria da Infância e Adolescência do Hospital Dona EStefânia, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Central

Referências

Xavier M, Paixão I, Mateus P, Goldschmidt T, Pires P, Narigão M, et al. Relatório da avaliação do Plano Nacional de Saúde Mental 2007-2016 e propostas prioritárias para a extensão a 2020 [Internet]. Lisboa: Comissão Técnica de Acompanhamento da Reforma de Saúde Mental; 2017. Available from: https://www.sns.gov.pt/wp-content/uploads/2017/08/RelAvPNSM2017.pdf

World Health Organization. The World health report 2001 – Mental health: new understanding, new hope [homepage]. Geneva: WHO; 2001. Available from: https://apps.who.int/iris/handle/10665/42390

Coordenação Nacional para a Saúde Mental. Plano nacional de saúde mental 2007-2016: resumo executivo [Internet]. Lisboa: CNSM; 2008. Available from: https://www.adeb.pt/files/upload/paginas/Plano%20Nacional%20de%20Saude%20Mental.pdf

Programa Nacional para a Saúde Mental. Saúde mental em números – 2015. Lisboa: Direção-Geral da Saúde; 2016.

World Health Organization. Mental health action plan 2013-2020 [homepage]. Geneva: WHO; 2013. Available from: https://www.who.int/publications/i/item/9789241506021

Programa Nacional para a Saúde Mental. Programa nacional de saúde mental 2017. Lisboa: Direção-Geral da Saúde; 2017.

Fernandes L, Basílio N, Figueira S, Nunes JM. Saúde mental em medicina geral familiar: obstáculos e expectativas percecionados pelos médicos de família [Mental health in general family medicine: obstacles and expectations perceived by family physicians]. Ciênc Saúde Colet. 2017;22(3):797-805. Portuguese

Rebelo MF, Gonçalves MJ, Bolina FM. A 3ª face da Lua: saúde mental em cuidados de saúde primários. 2ª ed. Loures: Lusodidacta; 2015. ISBN 9789898075376

World Health Organization, World Organization of Family Doctors. Integrating mental health into primary care: a global perspective [homepage]. Geneva: WHO; 2008. Available from: https://apps.who.int/iris/handle/10665/43935

eLearning for Healthcare. Mental health awareness for GPs: an e-learning resource [homepage]. Available from: https://www.e-lfh.org.uk/programmes/mental-health-awareness-for-gps/

Marques C. Rede de cuidados de saúde mental infantil e juvenil: ligação com os cuidados de saúde primários, educação, comunidade, justiça e psiquiatria. In: Monteiro P, editor. Psicopatologia e psiquiatria da infância e adolescência. Lisboa: LIDEL; 2014. p. 551-61. ISBN 9789897520372

Downloads

Publicado

2022-12-30

Como Citar

Amaro, R., Vaz Pinto, S., Garcia Ribeiro, C., Magalhães, M. F., Araújo Duarte, N., Sanchez, J., & Caldeira da Silva, P. (2022). Vamos falar de saúde mental infantil? Um estudo do impacto de formação especializada em saúde mental infantil para médicos e técnicos de cuidados de saúde primários. Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 38(6), 631–8. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v38i6.13096