Rabdomiólise precipitada por hipotiroidismo iatrogénico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v38i2.13227

Palavras-chave:

Hipotiroidismo, Doença iatrogénica, Medicina de família e comunidade, Rabdomiólise, Mixedema

Resumo

Introdução: A rabdomiólise é uma síndroma com várias etiologias. O médico de família (MF) pode contribuir para a sua investigação e para a articulação dos cuidados de saúde (CS) neste quadro, sendo fundamental uma boa acessibilidade aos CS e o acesso a meios complementares de diagnóstico (MCDT).

Descrição do caso: Utente do sexo feminino, 50 anos, com antecedentes de hipertensão arterial e hipertiroidismo tratado com iodo radioativo. Em 2019 recorre três vezes à consulta aberta num espaço de dois meses, por ausência da sua MF. Queixava-se de mialgias generalizadas, não tendo sido feita investigação complementar. A 11 de junho de 2019 dirige-se por sua iniciativa ao serviço de urgência (SU) por anasarca, toracalgia e dispneia, sendo diagnosticada rabdomiólise com indicação para estudo pelo MF. É observada pelo MF a 26 de junho, que pede análises e ecocardiograma, sendo diagnosticado hipotiroidismo iatrogénico por terapia com iodo radioativo. No mesmo dia é feita articulação telefónica com a endocrinologia e suplementação com levotiroxina. Na consulta com a MF, a 17 de julho, mantinha anasarca, dispneia e fervores bibasais na auscultação pulmonar. Por suspeita de insuficiência cardíaca descompensada e impossibilidade de realizar doseamento de NT-Pro-BNP foi encaminhada para o SU após contacto telefónico. Lá fizeram o seu doseamento, que era normal, excluindo-se esta patologia. A utente manteve-se medicada com levotiroxina, com valores flutuantes da função tiroideia, que apenas normalizaram após um ano.

Comentário: Os constrangimentos na acessibilidade a CS e os atrasos no pedido de MCDT levaram a um diagnóstico e tratamento tardio, tendo contribuído a articulação telefónica da MF com diferentes profissionais para tornar o processo mais célere. A indisponibilidade de doseamento de NT-Pro-BNP nos cuidados de saúde primários levou a uma referenciação ao SU que seria evitável, caso este MCDT fosse comparticipado.

Referências

Sauret JM, Marinides G, Wang GK. Rhabdomyolysis. Am Fam Physician. 2002;65(5):907-12.

Rosa NG, Silva G, Teixeira A, Rodrigues F, Araújo JA. Rabdomiólise [Rhabdomyolysis]. Acta Méd Port. 2005;18(4):271-81. Portuguese

Mathew V, Misgar RA, Ghosh S, Mukhopadhyay P, Roychowdhury P, Pandit K, et al. Myxedema coma: a new look into an old crisis. J Thyroid Res. 2011;2011:493462.

Rosenthal LD, Cumbler E. Avaliação do edema periférico [homepage]. BMJ Best Practice; 2019 [updated 2021 Sep 8]. Available from: https://bestpractice.bmj.com/topics/pt-br/609

Malaty W. Hipotireoidismo primário [homepage]. BMJ Best Practice; 2019 [updated 2021 Apr 13]. Available from: https://bestpractice.bmj.com/topics/pt-br/535

Downloads

Publicado

2022-04-29

Como Citar

Fechado Nunes, J., & Correia, S. F. (2022). Rabdomiólise precipitada por hipotiroidismo iatrogénico. Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 38(2), 208–14. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v38i2.13227