Sintomas e características clínicas de indivíduos com infeção por SARS-CoV-2 em seguimento domiciliário

Autores

  • Margarida Glórias Ferreira Médica Interna de Formação Específica em Medicina Geral e Familiar, USF Rodrigues Miguéis, ACeS Lisboa Norte http://orcid.org/0000-0002-8632-7586
  • Bianca Brandão Médica Interna de Formação Específica em Medicina Geral e Familiar, USF Rodrigues Miguéis, ACeS Lisboa Norte
  • Sofia Cassamo Médica Interna de Formação Específica em Medicina Geral e Familiar, USF Rodrigues Miguéis, ACeS Lisboa Norte
  • Ana Catarina Silva Médica Interna de Formação Específica em Medicina Geral e Familiar, USF Rodrigues Miguéis, ACeS Lisboa Norte
  • Mílvia Jorge Consultora de Medicina Geral e Familiar, USF Rodrigues Miguéis, ACeS Lisboa Norte

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v38i3.13243

Palavras-chave:

SARS-CoV-2, COVID-19, Cuidados de saúde primários, Médico de família

Resumo

Introdução: Os doentes assintomáticos ou com sintomatologia ligeira a moderada representam 80-85% dos doentes infetados com SARS-CoV-2. Um melhor conhecimento sobre o curso da doença, os sinais de agravamento, podem ser de grande importância para uma otimização do seguimento destes doentes e antecipação de complicações.

Objetivo: Estudar as características e evolução da doença por SARS-CoV-2 pelos cuidados de saúde primários, em indivíduos com critério para vigilância domiciliária.

Métodos: Identificados doentes com infeção confirmada, inscritos na plataforma Trace COVID-19 e atribuídos à USF, de 26/Mar a 30/Jun de 2020. Os dados foram recolhidos através de contacto telefónico, tendo sido estudadas as variáveis: número de casos; caracterização demográfica, clínica e laboratorial, assim como evolução da doença. A análise dos dados foi efetuada no programa Microsoft® Excel.

Resultados: Dos 41 indivíduos estudados, 53,7% era do sexo feminino e a média de idades foi de 44,9 anos. A duração média dos sintomas foi de 15,9 dias, sendo a mialgia o sintoma mais prevalente (61%). Em relação às comorbilidades, a patologia mais frequentemente encontrada foi a hipertensão arterial (22%). De acordo com a evolução clínica apenas 14,6% teve necessidade de observação em áreas dedicadas à COVID-19 na comunidade ou no serviço de urgência hospitalar.

Conclusões: Os sintomas gripais, como mialgias (61%), cefaleias (58,5%), cansaço (56,1%) e tosse (48,8%), foram os mais frequentes. O único doente com necessidade de internamento apresentava como única comorbilidade a obesidade. Este é hoje reconhecido como um fator de risco para complicações associadas à COVID-19, a par da idade (acima dos 65 anos), das doenças cardiovasculares, da doença pulmonar crónica e da diabetes. Este estudo constitui um contributo para uma melhor caracterização desta patologia conhecida apenas há cerca de dois anos e reforça a importância do médico de família no seguimento dos doentes e integração de cuidados.

Referências

Wu Z, McGoogan JM. Characteristics of and important lessons from the coronavirus disease 2019 (COVID-19) outbreak in China: summary of a report of 72,314 cases from the Chinese Center for Disease Control and Prevention. JAMA. 2020;323(13):1239-42.

Direção‐Geral da Saúde. Abordagem do doente com suspeita ou infeção por SARS CoV 2: norma nº 004/2020, de 23/03/2020, atualizada em 05/01/2022. Lisboa: DGS; 2022.

Du N, Chen H, Zhang Q, Che L, Lou L, Li X, et al. A case series describing the epidemiology and clinical characteristics of COVID-19 infection in Jilin Province. Virulence. 2020;11(1):482-5.

Lapostolle F, Schneider E, Vianu I, Dollet G, Roche B, Berdah J, et al. Clinical features of 1487 COVID-19 patients with outpatient management in the Greater Paris: the COVID call study. Intern Emerg Med. 2020;15(5):813-7.

Direção‐Geral da Saúde. Novo coronavírus COVID-19 – Relatório de situação nº 24: situação epidemiológica em Portugal [Internet]. Lisboa: DGS; 2020 [2020 Mar 26]. Available from: https://covid19.min-saude.pt/wp-content/uploads/2022/03/24_DGS_boletim_20200326_pdf-348kb.pdf

Direção‐Geral da Saúde. Novo coronavírus COVID-19 – Relatório de situação nº 121: situação epidemiológica em Portugal. Lisboa: DGS; 2020. Available from: https://covid19.min-saude.pt/wp-content/uploads/2022/03/121_DGS_boletim_20200701_pdf-421kb.pdf

Serviço Nacional de Saúde. USF Rodrigues Miguéis: bilhete de identidade dos cuidados de saúde primários. Lisboa: Ministério da Saúde; [cited 2021 Feb 02]. Available from: https://bicsp.min saude.pt/pt/biufs/3/30028/3111171/Pages/default.aspx

Lechien JR, Chiesa-Estomba CM, Place S, Van Laethem Y, Cabaraux P, Mat Q, et al. Clinical and epidemiological characteristics of 1420 European patients with mild-to-moderate coronavirus disease 2019. J Intern Med. 2020;288(3):335-44.

COVID-19 stats: COVID-19 incidence, by age group — United States, March 1 – November 14, 2020. MMWR Morb Mortal Wkly Rep. 2021;69(5152):1664.

Mizumoto K, Kagaya K, Zarebski A, Chowell G. Estimating the asymptomatic proportion of coronavirus disease 2019 (COVID-19) cases on board the Diamond Princess cruise ship, Yokohama, Japan, 2020. Euro Surveill. 2020;25(10):2000180.

Gandhi RT, Lynch JB, del Rio C. Mild or moderate Covid-19. N Engl J Med. 2020;383(18):1757-66.

Serviços Partilhados do Ministério da Saúde. Trace COVID-19: manual de utilizador Internet]. Lisboa: SPMS; 2020. Available from: http://www.arscentro.min-saude.pt/wp-content/uploads/sites/6/2020/05/TraceCOVID-deck-V1.pdf

Korea Centers for Disease Control and Prevention. Findings from investigation and analysis of re-positive cases [homepage]. Seoul: KCDC; 2020 May 18. Available from: https://www.mofa.go.kr/eng/brd/m_22743/view.do?seq=3&srchFr=&srchTo=&srchWord=&srchTp=&multi_itm_seq=0&itm_seq_1=0&itm_seq_2=0&company_cd=&company_nm=&page=1&titleNm=

Li N, Wang X, Lv T. Prolonged SARS-CoV-2 RNA shedding: not a rare phenomenon. J Med Virol. 2020;92(11):2286-7.

Liu WD, Chang SY, Wang JT, Tsai MJ, Hung CC, Hsu CL, et al. Prolonged virus shedding even after seroconversion in a patient with COVID-19. J Infect. 2020;81(2):318-56.

Centers for Disease Control and Prevention. Duration of isolation and precautions for adults with COVID-19: recommendations [homepage]. CDC; 2020 Sep 10 [updated 2022 Jan 14]. Available from: https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/hcp/duration-isolation.html

Zhou F, Yu T, Du R, Fan G, Liu Y, Liu Z, et al. Clinical course and risk factors for mortality of adult inpatients with COVID-19 in Wuhan, China: a retrospective cohort study. Lancet. 2020;395(10229):1054-62.

Centers for Disease Control and Prevention. Post-COVID conditions: information for healthcare providers [homepage]. CDC; 2021 Jul 9. Available from: https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/hcp/clinical-care/post-covid-conditions.html

Downloads

Publicado

2022-07-07

Como Citar

Glórias Ferreira, M., Brandão, B., Cassamo, S., Silva, A. C., & Jorge, M. (2022). Sintomas e características clínicas de indivíduos com infeção por SARS-CoV-2 em seguimento domiciliário. Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 38(3), 270–7. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v38i3.13243