Manobra de Ortolani: execução e registo

Autores

  • Arménio Ramos Interno do 3º ano do Internato Complementar de Clínica Geral Centro de Saúde de Faro

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v18i2.9870

Palavras-chave:

Ortolani, Intervenção, Avaliação de qualidade

Resumo

Objectivo: Verificar a frequência com que é efectuado registo da manobra de Ortolani, na Consulta de Saúde Infantil do Centro de Saúde de Faro, e eventual melhoria após uma intervenção correctora. Tipo de Estudo: Estudo de avaliação de qualidade em duas fases. Local: Centro de Saúde de Faro. População: Crianças nascidas e inscritas no Centro de Saúde de Faro entre 1 de Abril e 31 de Dezembro de 1999 (1a fase), e em igual período de 2000 (2a fase). Métodos: A dimensão em estudo foi a competência técnico-científica, avaliada com base em dados de processo. Na 1a fase estudaram-se 439 consultas (0, 2 e 4 meses). Após a intervenção de motivação para a necessidade do registo de execução da manobra, a 2a fase de avaliação incidiu sobre 506 consultas. Como fonte dos dados utilizaram-se as fichas clínicas de Saúde Infantil. Como critério, explícito e normativo, assumiu-se que o registo da manobra deve acompanhar a sua execução nas consultas em que é pertinente. Resultados: Na 2a fase, houve 55,9% de registos na 1a consulta, 32,8% na consulta dos 2 meses e 32,2% na consulta dos 4 meses (em oposição a 30,5%, 13,0% e 9,7% na primeira fase). Conclusão: Considera-se ser de incentivar outras intervenções de melhoria da qualidade assistencial.

Downloads

Publicado

2002-03-01

Como Citar

Ramos, A. (2002). Manobra de Ortolani: execução e registo. Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 18(2), 111–8. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v18i2.9870

Edição

Secção

Investigação Original