Compreender a Dispepsia

Autores

  • Susana Castro Marques Interna do 2º ano do Internato Complementar de Medicina Geral e Familiar Centro de Saúde de Odivelas - Extensão Olaio

DOI:

https://doi.org/10.32385/rpmgf.v18i4.9883

Palavras-chave:

Dispepsia, Dispepsia Funcional, Abordagem, Médico de Família

Resumo

Introdução: A dispepsia define-se como dor ou desconforto persistente ou recorrente nos quadrantes superiores do abdómen, que podem ou não estar relacionados com as refeições. Objectivos: Apresentar uma revisão actualizada e sistematizada sobre a dispepsia, com particular destaque para a dispepsia funcional, numa perspectiva direccionada para os especialistas de Medicina Geral e Familiar. Métodos: Efectuou-se uma revisão bibliográfica baseada na consulta de manuais e publicações periódicas de referência nesta área e na pesquisa de artigos publicados na base de dados Medline desde 1995. Corpo da revisão: São abordadas as definições de dispepsia e dispepsia funcional, o seu enquadramento epidemiológico e os aspectos etiológicos e fisiopatológicos mais importantes. Delineia-se uma proposta de abordagem diagnóstica e terapêutica da dispepsia, salientando-se o papel do Médico de Família no seguimento destes doentes. Finalmente enunciam-se os critérios de referenciação para os Cuidados de Saúde Secundários e discute-se o prognóstico desta entidade nosológica. Conclusões: A dispepsia é um problema de saúde comum na prática clínica do Médico de Família (responsável por 2-5% das consultas de Medicina Geral e Familiar), sendo portanto imprescindível a sua permanente actualização em relação aos sucessivos desenvolvimentos referentes aos mecanismos fisiopatológicos envolvidos e abordagem diagnóstica e terapêutica.

Downloads

Publicado

2002-07-01

Como Citar

Marques, S. C. (2002). Compreender a Dispepsia. Revista Portuguesa De Medicina Geral E Familiar, 18(4), 227–39. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v18i4.9883