Rebelo, L. (2004) «O médico de família e a dependência tabágica. Uma oportunidade de ouro para intervir na qualidade de vida do paciente», Revista Portuguesa de Medicina Geral e Familiar, 20(1), pp. 75–84. doi: 10.32385/rpmgf.v20i1.10011.